Gastronomia do Distrito de ÉvoraComparada a Sevilha e Florença, o Distrito de Évora é uma das pérolas de Portugal. Com as suas casas caiadas e prédios forrados de azulejos, Évora guarda em cada canto um pouco das diferentes culturas que a moldaram. A arquitetura romana e árabe destacam-se nos edifícios antigos e arcadas imponentes, como o Templo Romano. Muralhas medievais espalham-se pela região, assim como as igrejas, algumas delas de rica beleza gótica, como a Igreja de São Francisco e a Igreja dos Lóios. Mas além de todo esse passado, a região é um atrativo moderno para quem gosta de passar bons momentos a festejar e saborear delícias culinárias.

A gastronomia de Évora é uma das mais imaginativas de Portugal. As carnes de borrego, porco e os peixes nunca faltam na cozinha, e sempre caem bem no Cozido à Portuguesa, na Açorda e no Gaspacho à Alentejana, Ensopado de Borrego, Sargalheta, Migas à Alentejana e Cacholeira. O queijo de cabra com geleia de figo é outra peculiaridade de Évora, assim como os pasteis recheados com perdiz e alho assado. Outros grandes destaques de Évora são as sopas de receitas centenárias. Impossível não se deliciar com a Sopa de Cação, Sopa de Tomate, a suculenta Sopa de Toucinho e a diversificada Sopa de Beldroegas, com batatas, alhos,cebolas e muito azeite, que resume o sabor da terra.

Tradição aqui também são os doces conventuais, que são oferecidos em diferentes variedades, mas com os sempre presentes ovos e amêndoas. As saborosas Barrigas de Freira com o tradicional formato de meia-lua são uma das riquezas da gastronomia lusitana, mas que não ofuscam os também famosos Pão de Rala, Trouxas de Ovos, Pastéis de Toucinho de Arraiolos, Filhós Enroladas, Queijadas de Requeijão e as Queijadas de Évora.

Farta gastronomia e tradições centenárias marcam essa terra, e quem saboreia estes pratos, vive a história milenar através do paladar.