Fermento caseiro

De Gororobas do Brasil
(4.38/5 - 172 votos)
34 comentários


Sempre quis fazer o fermento natural. Além do pão ficar muito mais saboroso, a fermentação é mais rápida e eficiente que o fermento industrial já que é um fermento vivo. Nunca tentei por preguiça mesmo. Pensava que daria muito trabalho, poderia ser uma lambança e desperdício de trigo.

Hoje tomei coragem. Depois de ver tantas receitas propagadas em comunidades de gastronomia, sites e blogs. Descobri que na verdade é muito prático e só vai dar trabalho na primeira semana, depois terei sempre o fermento à minha disposição. Representando uma boa economia de idas ao mercado e de dinheiro também.

Bom fazer o fermento é muito simples. Basta colocar num pode de vidro uma medida de trigo (ou centeio) e a mesma medida de água. Bata bem para formar um mingau. Não use batedeira nem colher de metal porque mata a levedura, bata com uma colher de pau. Faça num vidro grande para ter espaço para alimentar o fermento posteriormente

Tampe o vidro com um pano levemente úmido e deixe por 24 horas num lugar quente da casa. Pode ser em cima da geladeira ou de um armário. A cada 24 horas você deve mexer bem a massa e acrescentar um pouco mais de trigo e água. No segundo dia é bom mexer diversas vezes para distribuir bem a fermentação.

Quando começar a aparecer bolhas na mistura, é porque ele já estará formando o dióxido de carbono. Isso deve ocorrer no terceiro dia, mas pode variar de acordo com o calor. Mexa ocasionalmente.


Num determinado momento irá surgir um líquido escuro que os padeiros europeus chamam de hooch. É uma camada de líquido aquoso  que contém álcool. Cheira um pouco como cerveja, porque é de certa forma um dos estágios da produção da cerveja, principalmente se falamos de cerveja de trigo. Não se preocupe, mexa tudo, e continue alimentando o seu fermento.

 
A partir da produção do hooch o fermento vai começar a encorpar, continue o processo diário de alimentação mexendo bem a mistura. Quando ele estiver bem grosso, ligeiramente amarelado e espumando bastante quando você mexe. Está pronto para o uso!

Você poderá usar o fermento todos os dias e alimentá-lo diariamente. Minha falecida vó Amélia fazia isso. Todo dia acordávamos com cheirinho de pão recém assado. Ela acordava cedo pra fazer o pão do café da manhã. Não sei se terei essa disposição.

Quem, como eu, tem uma vida muito corrida e prefere fazer pão uma vez por semana, poderá guardá-lo no refrigerador e alimentando-o semanalmente. Não use tampa, cubra com papel"filme"ou outro plástico qualquer e faca minúsculos furinhos, para que os "bichinhos" do fermento possam respirar.

 
Ao retirar da geladeira deixe voltar à temperatura ambiente naturalmente, mexa bem e estará pronto para uso. Não exponha ao sol.


Daqui a uma semana pretendo fazer um pão com meu fermento caseiro, então repartirei essa experiência com vocês. 

 

 
DICAS/ CURIOSIDADES

Objetos de metal matam a cultura, expor diretamente ao sol tambémO fermento de centeio cresce mais que o de trigoSempre reponha a quantidade que retirar (alimente a levedura)Não é preciso colocar açúcar na produção do fermentoNa receita do pão use 30 a 40% da medida de trigo em fermento. Ou seja se vai usar um quilo de trigo use 400g de fermentoEm dias quentes 30º a 40º o pão levará em média seis horas para dobrar de tamanhoAs melhores marcas de panetone usam fermento naturalO fermento natural não estraga e não acaba nunca, basta alimentar com trigo e água ao menos uma vez por semana e sempre que fizer uma receita reponha a quantidade retiradaVocê pode secar o seu fermento - embrulhe em papel manteiga e deixe secar à sombra. Guarde em um pote fechado. Quando for usar basta misturar com água e farinha, mexer bem até que forme a esponja. Bom para levar em viagens ou presentear parentes e amigos.Congelado dura um ano. Se, depois de um tempo o fermento estiver com um cheiro muito forte ou apresentar alterações na cor, jogue-o fora e comece uma nova cultura. Daí ser interessante congelar uma parte ao fim da primeira semana. Assim, se for necessário iniciar um novo, não terá todo o trabalho inicial. 
 





De Gororobas do Brasil




Avaliar esta receita:

Comentários dos membros (34):

4 / 5
Publicado 08/07/2011, 05:12

Eu e minha tia Rose já fizemos esse tipo de fermento certa vez quando eu ainda era adolescente,deu super certo e o pão ficou muito fofinho e saboroso.O pão feito com esse tipo de fermento a gente chamou de pão de cristo.Porque antigamente no tempo de cristo só existia esse tipo de fermento.
Rosi Vieira

5 / 5
Publicado 25/01/2012, 19:11

No sítio quando criança , minha mãe D.Celina fazia este fermento caseiro às vezes colocava fubá junto , pães e broas deliciosoos, e aprendi com ela , detestava quando a massa estava mole ainda e grudava nos pelos do meu pulso, secava, doía quando lavava...

5 / 5
Publicado 31/01/2012, 23:02

Muito bem explicado ao promenor e sem sal nem açucar. vou já começar mas só com trigo biológico ou organico com dizem no Brasil. Obrigado !

5 / 5
Publicado 15/03/2013, 16:54

A tempos usei fermento caseiro mas prdi amuda e nao sabia como fazer mas agora descobri vou fazer.
amei muito obrigada.

4 / 5
Publicado 15/07/2012, 17:43

Show do milhão.....já estou colocando a mão na massa.....ops...no fermento....Hajdu

4 / 5
Publicado 02/06/2012, 04:41

Gostei da receita, parece que dá para fazer. E essa história do metal?

5 / 5
Publicado 17/07/2011, 13:27

Parabens é muito bom,muito obrigado poe colocar a recita para o publico.

5 / 5
Publicado 17/03/2013, 03:32

Sempre alimentei fermento dos outrou agora vou fazer meu propio f

5 / 5
Publicado 12/07/2011, 03:44

Maravilho esta a receita ..............parabens testei e aprovei.

5 / 5
Publicado 28/01/2013, 02:08

Maravilha ja vou fazer !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Sort:    Filter:

Vídeo relacionado




Artigos relacionados

Diferentes formas de comer PãoDiferentes formas de comer Pão

Pergunta do dia
Qual cozinha você prefere?
Voto
(c) Madeinwork | Menções legais

Novidades em sua mesa
Novidades em sua mesaTodo dia um novo vídeo e uma nova receita feita pela equipe do PetitChef. Inscreva-se no Facebook.