Petitchef
Criar Novo Registo
Palavra-passe esquecida ?  
PETITCHEF
Pesquisa avançada

RECEITAS


'


RECEITAS

DOCE DE FIGO VERDE EM CALDA ? SABOR BRASIL

De Cozinha é Poesia
(4.40/5 - 172 votos)

29 comentários




DOCE DE FIGO VERDE EM CALDA ? SABOR BRASIL


Se não me falha a memória era mais ou menos nessa época do ano que minha mãe começava a preparar vidros e mais vidros de doce de figo verde em calda. Os doces eram destinados as festas e presentes de fim de ano e também para o deleite dos moradores da casa.

Os figos vinham dos vários pés que ela mesma havia plantado no quintal da chácara onde morávamos antes de virmos para o oeste do estado. A chácara ficava na Serra da Cantareira um lugar de clima excelente para o cultivo de figos.

Lembro-me que dessa época até o final do ano sempre havia um vidro desse doce aberto na geladeira de casa. E além de serem servidos com o tradicional queijo mineiro volta e meia eles entravam na composição das guloseimas típicas de fim de ano que fazíamos em casa. Faço minha ?rosca festiva? com eles e ficam lindos ao redor de um simples ?manjar branco? misturado a ameixas e cerejas.

Esses que usei vieram ?surpreendentemente? de Panorama (SP) de um sítio vizinho do rancho dos meus pais, onde minha mãe também já plantou alguns pés de figo que já começaram a dar seus primeiros frutos. Quem sabe o ano que vem a receita será feita com os figos do novo quintal.

De um curto e saudoso tempo que em certa época morei em Belo Horizonte (MG) aprendi que o doce feito em tacho de cobre tem sua cor realçada pelos poderes do metal. Mas o tal do tacho ainda é sonho de consumo ou quem sabe é apenas mais um pretexto para um dia voltar a Minas Gerais.

Por hora ficam por cá o doce e o desejo...










DOCE DE FIGO VERDE EM CALDA


Ingredientes

11/2 kg de figos verdes
1 kg de açúcar

Modo de fazer

Depois de bem higienizados, coloque os figos numa panela grande e cubra-os com água. Leve ao fogo e cozinhe até que eles fiquem ligeiramente macios, aproximadamente 25 a 30 minutos. Escorra os figos e passe-os por água corrente, deixe que esfriem e leve-os ao freezer acondicionado em sacos plásticos (use 2 ou mais sacos) e deixe-os de um dia para o outro, até que fiquem bem congelados.
No dia seguinte retire-os do freezer e dos sacos plásticos e coloque-os sobre um escorredor de massas. Antes que descongelem por completo vá lhes retirando a pele sob a água corrente (um fio de água bem fraquinho).
Depois que estiverem sem a pele fure-os com um garfinho, ou então com um palito (uso um palito). Reserve-os.
Faça uma calda rala levando o açúcar e 11/2 litro de água ao fogo (escolha uma panela grande) e junte os figos. Deixe-os ferver por 15 minutos e desligue. Reserve.
No dia seguinte leve a panela ao fogo novamente e marque mais 15 minutos novamente após o inicio da fervura. Reserve novamente.
No terceiro dia repita o processo novamente, até que os figos fiquem transparentes e vidrados e a calda ligeiramente espessa.
Passe os figos e a calda para uma compoteira ou outro recipiente de vidro com tampa e despeje a calda sobre eles.
Conserve em geladeira.


Observações dessa cozinha:

__ Se não tiver a intenção de fazer o doce de imediato os figos poderão ser mantidos por algum tempo no freezer.

__ Há que prefira fazer um corte em cruz na base dos figos ao invés de furá-los. Eu, no entanto acho que os figos assim ficam muito frágeis então prefiro furá-los com um palito.


__ Também existe um método de fazer o doce sem retirar a pele do figo, mas isso ainda é coisa para se tentar.




FLAGRANTES DE PRIMAVERA









Cenas feitas nas minhas andanças diárias pela cidade que geralmente acontecem nos fins de tarde.

Numa travessa da Avenida Presidente Roosevelt - esquina da Princesa Isabel com a XV de Novembro ? me deparei com a demolição da linda e antiga casa que já foi de uma pessoa que fez parte do convívio da minha mãe nos tempos de mocidade.

Pedaços da história e da cidade que se vão...

Espero que eles saibam valorizar pelo menos as lindas colunas da construção, já que não vi placa com o nome de nenhuma empreiteira ou arquiteto.







Na mesma rua logo mais a cima quase chegando à Roosevelt, a Primavera e o Ipê ofertam seus dons.













Bookmark and Share


Creative Commons License
Licença Creative Commons.

Imprimer cette page
De Cozinha é Poesia (Visitar o site)






Avaliar esta receita:

Comentários dos membros:

5 / 5

Ded

5 / 5

Vou tentar fazer, fica uma deliciaaaaaa

5 / 5

Super otimo parabens

4 / 5

ADOREI A RECEITA

5 / 5

Adorei!!!!!!obrigada pela dica

5 / 5

Ótimo este doce!!!!!

... clique aqui para ver todos os comentários (29)

Receitas semelhantes


Artigos relacionados

Pastéis de Nata, especiaria a ser apreciada sem moderaçãoPastéis de Nata, especiaria a ser apreciada sem moderação


Cooking Units Converter



Gostoso ou Nojento